quinta-feira, 24 de abril de 2014

10 sinais de que você é um (a) viciado (a) em livros



  1. Você mente pra si mesmo (a) dizendo que só vai comprar livros quando terminar a sua fila de leitura;
  2. Sua conta no Skoob tem o total de livros marcados como Vou Ler com a quantidade maior do que a dos livros Lidos;
  3. Você vasculha sites pra baixar Pdf dos lançamentos e lê mesmo com uma tradução horrível;
  4. Seu facebook é cheio de atualizações de páginas de blogs literários;
  5. As pessoas só puxam assunto com você sobre livros e sempre dizem a famosa frase “tenho que ler mais”;
  6. Você fica mais de uma hora dentro de uma livraria sem perceber o tempo passar;
  7. Quando tem Bienal do Livro, você chega na hora que abre e só vai embora quando a feira está terminando;
  8. Quando falam o nome de algum livro, você já sabe se faz parte de uma saga e até recomenda obras do mesmo autor;
  9. Você gasta pelo menos R$ 50,00 com livros que provavelmente vão ficar na estante por um tempo até que você consiga ler os que estão na fila de próximas leituras antes dele;
  10. Você virou blogueira (o) literária (o) hahaha.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Dia Internacional do Livro - Falando Sobre o Vício


Hoje comemoramos o Dia Internacional do Livro, e pra celebrar esse dia, vou contar pra vocês um pouco sobre o meu vício em leitura J

Desde muito pequena sou apaixonada por leitura. Os livros sempre foram minha válvula de escape. Quando criança, vivia enfurnada na biblioteca, ia pelo menos duas vezes por semana porque lia os livrinhos em no máximo dois dias. Pra vocês terem uma idéia, as bibliotecárias me chamavam pelo nome, porque eu era figurinha carimbada no lugar, quase uma mascote.

Esse hábito não era só centrado nas bibliotecas públicas, eu também freqüentava o ônibus biblioteca que encostava uma vez por semana perto de casa e a biblioteca da escola era meu refúgio secreto, uma vez que eu nunca fui uma criança muito sociável.

Eu sempre li em todos os lugares possíveis e imagináveis, desde banco de praça, até em pé no ônibus. Sabe aquela mulher que você viu em pé na lotação, tentando se equilibrar enquanto lia um tijolão das Crônicas de Gelo e Fogo (Game Of Thrones)? Pois então, provavelmente era eu.

Já fugi pro banheiro do trabalho pra ler, já fingi que tinha que estudar pra ler, já deixei de assistir filmes, comer e ter interações sociais pra terminar um livro querido. Hoje equilibro melhor isso.

Estou reformando minha casa e já deixei um espacinho pra fazer uma mini biblioteca com os meus livros preferidos, que vão dos clássicos até as distopias atuais.

Compro pela internet, mas também adoro ir a uma livraria olhar as capas, folhear as páginas e escolher minha próxima leitura. A Bienal é o paraíso pra mim, chego de manhã com as crianças e só vou embora á noite, perto de terminar.

Eu influencio meus filhos sempre que posso, sem obrigar é claro, porque acho que a leitura deve ser prazerosa. Tudo que é feito por obrigação é cansativo e chato, e olha, de chatice eu entendo! Felizmente essa influência tem sido promissora, minha filha mais nova tem devorado livros, assim como eu, e meu filho tem lido bastante, no ritmo dele é claro, mas ainda sim, está lendo e gostando das histórias, acho isso muito importante.  
 
Sou viciada em leitura, mas não sou uma louca que deixa tudo de lado pra ler. Ainda vou ao cinema, ainda namoro com meu marido, ainda brinco com meus filhos, enfim tenho uma vida saudável. O tempo que eu dedico à leitura varia de 1 a duas horas por dia, ou seja cerca de 100 a 150 páginas diárias de um livro físico, se for no Kobo, leio mais J. Vida de bookaholic é assim, e apesar do vício ser em algo saudável, temos que tomar cuidado pra não virar algo que nos impede de curtir outras coisas da vida.

Esse texto ficou enorme! Sempre escrevo textos grandes quando falo sobre algo que eu amo. Livros são minha paixão, sempre foram, sempre vão ser.

Um Feliz Dia Internacional do Livro!



terça-feira, 22 de abril de 2014

Resenha: Filme - Requiem Para Um Sonho

Acabei de assistir ao filme Requiém para Um Sonho e tenho a sensação de que esse filme ficará na minha cabeça por um bom tempo.

Logo no começo do filme, nos deparamos com Harry, um adolescente viciado, que vende as coisas de sua mãe para obter dinheiro pra drogas. Sara, mãe de Harry, é viciada em programas de concurso da televisão, e sempre que Harry vende sua tv, ela vai no cliente dele e a compra de volta. Essa relação Harry, cliente e Sara vem se repetindo há anos, e ao que parece, vai continuar ainda por um bom tempo.

Harry e Tyrone tem um sonho, eles querem ter uma vida financeiramente confortável através da venda de drogas. Só que a vontade de ser um grande traficante vai de encontro com o fato de que eles são dois viciados, e por mais que se esforcem pro “negócio” dar certo, sempre acabam usando mais do que deveriam.

Marion é a namorada de Harry, uma moça de boa família que tem um grande talento para desenhar roupas. Talento esse que infelizmente é desperdiçado, pois Marion só pensa em usar cocaína e ficar com Harry. Para alimentar o seu vício, ela será capaz de tudo, inclusive se sujeitar às situações mais chocantes.





Falando de forma simplificada, o filme trata sobre vícios. Não só o vício em drogas que é muito abordado no filme, mas o vício em um sonho, e naquilo que você é capaz de fazer pra torna-lo realidade. O descaso, a solidão e a depressão também são temas muito discutidos e nos fazem refletir sobre as nossas atitudes e/ou sobre as atitudes de pessoas próximas. 

Terminei o filme com a sensação de que se apenas um deles tivesse tido apenas uma atitude correta consigo mesmo e com o outro, o final deles poderia ter sido muito diferente.

Eu assisti a versão com cortes e ainda sim o filme foi chocante e perturbador pra mim! Assista e fique chocado com a realidade presente na vida de muitas pessoas.

Recomendo!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Resenha: O Códex dos Caçadores de Sombras

Este livro é uma edição feita exclusivamente pros apaixonados pela série Instrumentos Mortais da Cassandra Clare

O Códex é um manual para os Caçadores de Sombra, um livro de estudos, que conta a história desses guerreiros desde o primeiro Caçador criado pelo anjo Raziel, Jonathan Caçador de Sombras.

O livro traz explicações sobre as armas que eles podem usar, os nomes de caçadores que eles podem escolher, as tatuagens, explica sobre o treinamento marcial e magia e tem uma sessão exclusiva sobre os tipos de demônios, integrantes do submundo e anjos e homens.

O livro é cheio de divertidas notas de rodapé escritas por Clary, Simon e Jace. No início de cada capítulo também tem desenhos feitos pela Clary. Esses pormenores me lembraram muito os livros extras do Harry Potter, que também possuem esse “a mais”.


Este livro não é uma continuação da série, mas explica muitas coisas que os fãs dos Caçadores de Sombras gostariam de entender melhor. A capa é linda, no mesmo padrão holográfico dos outros livros, as ilustrações dão um toque mais pessoal da Clare aos capítulos, se você é fã, recomendo, vale a pena ter na coleção. Vou mostrar algumas fotos.












E você tem a chance de ganhar um exemplar participando da promoção de aniversário de 3 anos do Blog, é só clicar aqui

Boa Sorte!!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Citando #34

Citações do Livro Convergente – Veronica Roth



Na resenha do livro Convergente, eu tinha dito que ele era recheado de citações e falei que eram tantas que muitas delas se repetiam, bom, separei várias pra mostrar pra vocês, mas antes de postar, quero mostrar como ficou o meu exemplar (não é o exemplar da promoção). 

Olhem só:





Viram? Muitas citações! Eu costumo marcar com um marca texto e colocar um post-it na folha, pra ficar fácil de encontrar, vocês fazem isso com os de vocês?

Agora vamos às citações J

“quando você mata alguém que ama, a parte difícil nunca passa. Só fica mais fácil se distrair do que você fez.” Página 68

“Será que medos desaparecem de fato? Ou apenas perdem o poder sobre nós?” Página 98

“É tudo uma questão de sorte ou providência, dependendo da sua crença. E eu não sei, nem nunca soube, bem no que acredito.” Página 101

“Se você rouba as memórias de uma pessoa, você muda quem ela é.” Página 106

“estou imaginando se é uma boa idéia se contentar com pequenos passos quando é possível dar passos grandes.” Página 153

“o desespero pode levar uma pessoa a fazer coisas surpreendentes.” Página 179

“se todos aprendessem o tempo todo sobre o mundo ao seu redor, teríamos muito menos problemas.” Página 222

“Nossa habilidade de aprender sobre nós mesmos e sobre o mundo é o que nos torna humanos.” Página 223

“Todas as pessoas tem algo de mal dentro de si e o primeiro passo para amar qualquer pessoa é reconhecer o mesmo mal dentro de nós para que possamos perdoá-la.” Página 279

“O Orgulho cega as pessoas para a verdade sobre elas mesmas.” Página 310

“Ao receber uma oportunidade de se aproximar de seu inimigo, sempre aceite.” Página 324

“quando alguém controla as informações ou as manipula, não precisa de força para manter as pessoas sob seu jugo. Elas obedecem por vontade própria.” Página 346

“quando precisamos escolher entre duas opções ruins, escolhemos a que salvará as pessoas que amamos.” Página 386

“Há uma diferença entre admitir e confessar. Admitir envolve suavizar a história e inventar desculpas para algo que não pode ser desculpado; confessar é apenas uma nomeação do crime em toda a sua seriedade.” Página 398

“Para mim, quando uma pessoa faz mal à outra, as duas compartilham o ônus da maldade. A dor dela pesa sobre as duas. O perdão, então, é a opção por carregar o peso sozinho.” Página 407

“se o sacrifício for a melhor forma de a pessoa mostrar que nos ama, devemos permitir que ela o faça... essa é a maior dádiva que podemos dar à pessoa.” Página 409

“Ou talvez o perdão seja apenas o afastamento contínuo de lembranças amargas até que o tempo diminua a dor e a raiva, e o mal seja esquecido.” Página 443