Alex e Rosie moram na Irlanda e são melhores amigos desde os sete anos de idade. Eles eram inseparáveis, faziam de tudo juntos, inclusive aterrorizar os professores na escola.

Quando chegaram na adolescência, Alex se vê obrigado a mudar para os Estados Unidos, pois seu pai recebeu uma proposta de emprego irrecusável. Mas os amigos não se separaram, continuaram mantendo contato por telefone, emails e cartas.

No último ano da escola, Alex prometeu a Rosie que viria para a Irlanda para ir ao baile de formatura com ela, pois além de comemorar o fim da escola, ambos foram aceitos na faculdade, ele cursaria Medicina em Harvard e ela Hotelaria em Boston, o sonho de infância dos dois se tornaria realidade.

Por um capricho do destino, Alex não consegue passagens aéreas e Rosie se vê obrigada a ir com outro garoto. Depois de uma noite de bebedeira, Rosie acaba grávida, e isso mudará completamente sua vida.

O livro é cheio de encontros e desencontros. Super bem humorado, me senti dentro de uma comédia romântica. O enredo é bom, mas tantos desencontros se tornaram cansativos, e isso combinado á uma série de partes desnecessárias (sala de bate papo), acabaram deixando o livro arrastado.

Grande parte dos diálogos se dá entre as mulheres da família de Rosie e á Ruby, uma amiga mais velha mas super presente na vida dela. Os diálogos eram rápidos e bem humorados, me peguei rindo várias vezes durante a leitura.

Um dos poucos pontos negativos dessa história é a sensação de que o livro é muito barulhento, pelo menos eu me senti assim, como quando se esta no meio de um monte de mulheres empolgadas que falam alto, e as vozes ficam agudas demais, sabem como é?

Ainda sim, é um livro muito bonito, fiquei desejando mais do final, queria que essa cena tão esperada tivesse sido mais explorada, ou que até mesmo tivesse acontecido antes, pra que a autora tivesse nos mostrado um pouco mais da vida de Alex e Rosie juntos.

O livro é muito fofo e cheio de passagens profundas. Super indico pra quem está na fase mamão com açúcar como eu, precisando de finais felizes.


 
 


RESENHA COM SPOILERS!!!!!

Assim que eu soube que a editora Suma de Letras iria lançar Escuridão Total Sem Estrelas (Full Dark No Stars) fiquei de olho nas lojas virtuais pra comprar na pré venda. As críticas internacionais (as oficiais e as de blogueiros) desse livro foram todas positivas, o que aguçou ainda mais a minha curiosidade sobre ele, então não pude resistir à tentação de pagar um pouco mais para devorar o mais novo livro do mestre.

Escuridão Total é composto de quatro contos macabros e intensos, que exploram o pior lado do ser humano. A inveja, vingança, cobiça estão presentes em todas as histórias, bem como a sensação de traição, seja por seus cônjuges, por seus filhos ou por amigos próximos.

Em 1922 Encontramos Wilf e Arlette vivendo numa fazenda com seu filho Henry. O Casamento deles estava bem, até que Arlette herda 100 acres de terra. Seu marido acredita firmemente que esses acres lhe pertencem, afinal ele é o chefe da família, o homem no comando de tudo. O que o pega de surpresa é que sua esposa quer vender as terras para um matadouro de porcos, e se mudar com a família para a cidade. Isso faz com que Wilf se sinta traído, e ele começa a fazer a cabeça do seu filho pra que ele fique contra a mãe e tente convencê-la da besteira que está fazendo. Seu plano dá certo, e seu filho começa a se virar contra a mãe, mas ela não muda de ideia, o que leva Wilf a tomar uma atitude mais drástica, matar sua esposa com a ajuda de seu filho e jogar seu corpo dentro de um poço.

No conto Gigante no Volante somos apresentados à escritora Tess, que está a caminho de fazer uma palestra de última hora numa biblioteca próxima. Tess está fazendo um fundo para a sua aposentadoria, e qualquer dinheiro que ela possa ganhar para aumentar consideravelmente essa quantia é bem vinda. Depois da palestra, sua contratante sugere que ela pegue um atalho para voltar pra casa e ela aceita a indicação de uma nova rota, pensando em economizar tempo. O que ela não poderia imaginar é que se veria presa em um conto de terror quando seu carro passa por cima de madeiras cheias de pregos que alguém propositalmente colocou lá. O homem gigante (2 metros) que lhe ofereceu ajuda, na verdade a estupra e joga seu corpo num cano quando pensa que ela está morta, mas ela estava viva, e sua cabeça de escritora começa a maquinar o melhor jeito de se vingar.

Em Extensão Justa encontramos o bancário Dave Streeter que está com câncer terminal. Quando ele estava saindo com o seu carro, se deparou com uma loja, próxima ao aeroporto, que ele nunca tinha notado antes, uma loja que vendia extensões, mas extensões de quê? Foi o que ele foi conferir e de deparou com a maior surpresa que poderia ter, por um preço bem interessante (não foi a sua alma), ele poderia ter pelo menos mais 15 anos de extensão para a sua vida, mas as consequências disso seriam intensas e desastrosas, ainda que não fossem pra ele.

Um Bom Casamento trouxe à tona várias perguntas que quem está há muito tempo casado poderia se fazer tranquilamente: será que você conhece realmente seu parceiro? Será que a imagem que ele passa pra você é real? Será que você realmente sabe tudo que é importante saber sobre ele? Você confiaria a sua vida a essa pessoa? Todos temos segredos, todos omitimos coisas e situações que acontecem o nosso dia a dia, mas o que fazer quando se percebe que o segredo de quem convive com você há anos é tão escabroso que você não conseguirá viver em paz consigo mesma depois de ter descoberto? Darcy descobriu o “esqueleto que seu marido escondia no armário” e terá que tomar uma decisão importante, uma decisão que não só mudará a sua vida e a tirará de seu comodismo, como influenciará diretamente na vida daqueles que ela ama.






Eu pensei muito sobre qual seria o meu conto preferido neste livro, mas não consegui decidir. Gostei de todos eles e senti muita aflição durante a narração das cenas de violência que foram super detalhadas. Eu não sou muito fã de livros de contos, prefiro as histórias longas, os livros grandes, mas esse foi uma exceção, eu adorei e achei impressionante o fato de conseguir ficar pensando sobre os contos por muito tempo depois de ter terminado a leitura, e pensei não só em um, mas sobre todos eles.

A edição está linda, com as bordas das páginas pretas, letras num bom tamanho e páginas amarelas. E o posfácio  está muito interessante, como em todo os outros livros do King.

Super indico!




Depois de algumas semanas louca de vontade de ter esse livro nas mãos, eu finalmente li Caixa de Pássaros. E o que eu posso dizer sobre ele é que eu achei intenso, mas não foi aquilo que eu esperava. Talvez eu não tenha tido muito tempo para pensar sobre ele porque estou escrevendo essa resenha depois de virar a noite pra terminar de ler, mas ele definitivamente não fritou o meu cérebro como um triler psicológico supostamente deveria fazer.

Achei muito boa a forma como o autor intercalou os capítulos, entre a Malorie do passado, e a Malorie do futuro. Ele me deu alguns spoilers leves durante a narrativa, mas nada que estragasse o desenvolvimento da história, muito pelo contrário, esses spoilers só aguçaram a minha curiosidade para saber como aquele determinado fato aconteceu.

O livro é bom, cheio de clímax, suspense, mistério, e confesso que teve duas reviravoltas perto do final que realmente me pegaram de surpresa, mas pra mim, a personagem principal, Malorie, foi muito oito ou oitenta, ela não teve meio termo, passou de adolescente abobada pra mãe forte e dura.

Claro que ela se transformou no que ela deveria ser ao enfrentar uma situação extrema, mas falando como mãe, senti falta da conexão entre mãe e filhos. Depois que as crianças nasceram, com exceção da cena das buzinas, não vi Malorie demonstrando amor nenhum pros dois, só medo e preocupação. Pra mim, faltou esse toque humano na narrativa.

Pessoas podem sobreviver "a tudo" devido ao seu instinto de sobrevivência, mas não seria a sobrevivência sem amor uma forma de enlouquecer? Quem sobrevive sem carinho e atenção?


O livro é muito bom, a diagramação da Editora Intrínseca está linda, conforme a publicação original, as folhas são amareladas, dá gosto de ler, dá gosto de olhar pro livro, mas vou dar 4 estrelinhas por causa da relação de mãe e filhos que só foi baseada no medo, senti falta de amor no final, mesmo quando ela se coloca na linha de tiro antes da crianças, gostaria que tivessem mais cenas no livro que mostrassem isso.

Ainda sim, super recomendo, é um livro diferente, que foge ao normal da literatura fantástica ou terror. Definitivamente a leitura vale a pena! 




Resenha do Mês de Abril do Desafio do Tigre. Tema: Suspense. Para saber mais sobre o Desafio, basta dar uma olhadinha neste post aqui ou acessar a página do DL no facebook.


Em março eu descobri a Sia e me apaixonei pela sua intensidade em cantar seus sentimentos. Mesmo que seus clipes envolvam muita polêmica, eu acho que eles tem uma arte e sensibilidade incríveis! Essas foram as músicas dela que eu mais ouvi durante o mês passado, fiquei viciada!

Elastic Heart 

 

Chandelier


 


Big Girls Cry


 


Salted Would – Trilha Sonora do Cinquenta Tons de Cinza


 

Breathe Me


 


É tarde da noite em Florença, Raven está voltado sozinha pra casa de um encontro com seus amigos. Ela em uma deficiência na perna que faz com que suas passadas sejam mais lentas, portanto sua caminhada será mais demorada do que a de uma pessoa “normal”. 

Apoiando-se em sua bengala, Raven seguiu seu caminho divagando sobre a noite alegre que teve na companhia de seus amigos quando se depara com uma cena horrível. O mendigo que sempre fica embaixo da ponte está sendo espancado por três algozes, sem pensar, Raven tenta defender o homem que nunca incomodou ninguém, fazendo com que os agressores se virassem contra ela.

A garota é espancada e escuta ameaças de estupro, seu medo é enorme, e sua deficiência a impede de correr, o que torna tudo mais aterrorizante. Depois de uma forte pancada na cabeça, a garota desmaia, e tudo se torna tranquilo.

Algum tempo depois, Raven acorda diferente, não só psicologicamente, mas também fisicamente. A deficiência que ele tinha na perna sumiu, e ela pode andar normalmente, até correr e pular, coisa que não fazia desde os seus 12 anos de idade. O resto do seu corpo também está diferente. Raven que sempre fora bem acima do peso estava magra, seus cabelos que sempre foram desgrenhados, agora estavam brilhantes e sedosos, seu rosto estava magro, os músculos bem definidos e os olhos mais vivos do que o normal.

A garota custou a acreditar que a imagem que via no espelho era realmente dela, além do que não se lembrava de nada do que tinha acontecido. Ela começou a imaginar se havia sido drogada, mas como não se lembrava de nada do que tinha acontecido, resolveu aceitar a mudança positiva, por mais estranha que ela fosse e foi para o seu primeiro dia de trabalho na Galleria degli Uffizi como restauradora de quadros.

Raven causou estranheza e espanto por onde passou, principalmente a seus amigos que não reconheceram a garota. Quando chegou no trabalho ela descobriu que ficou desaparecida pro uma semana, e por não se lembrar onde estava nem o que tinha acontecido, acabou se tornando a maior suspeita do roubo das ilustrações de Botticelli que os Emersons tinham emprestado para o museu para que eles fizessem uma exposição.

Além de ter que lidar com a sua transformação e com o fato de que agora é suspeita de roubo de patrimônio histórico, Raven também terá que lidar com um homem misterioso que está invadindo seu apartamento, dizendo que ela tem que ir embora de Florença a qualquer custo.

Raven é uma garota muito sofrida e triste, ainda sim, ela tem uma grande bondade em seu coração. Só que ela não consegue se ver como uma mulher atraente, pelo contrário, por estar fora dos padrões físicos impostos pela sociedade, ela começa a se enxergar com os olhos daqueles que a veem como gorda e feia. Sua deficiência física só agrava o seu problema de auto estima, e por conta disso, ela não acredita que um “homem” tão atraente como Willian, o Príncipe do submundo de Florença possa se sentir atraído por alguém como ela..

Esse livro conta o início da história de amor entre uma garota sem auto estima e um condenado que não sabia que ainda tinha a capacidade de amar. Como nos seus outros livros, Sylvain dá uma verdadeira aula sobre Dante, Botticelli e obras renascentistas, o que pra mim foi realmente interessante, apresar dele se estender demais em algumas cenas. A trilha sonora também foi maravilhosa, e várias vezes me peguei procurando no youtube as músicas que foram mencionadas na história. Porém o enredo deixou um pouco a desejar. Ele é cheio de partes compridas e maçantes, e eu quis matar Raven várias vezes quando ela se menosprezava, quando ela quis ficar longe do vampiro lindo que confessou várias vezes que a queria por achar que ele estava mentindo. O livro tem um clima diferente da Trilogia Gabriel. Na história de Gabriel e Julianne, várias vezes me deparei com diálogos divertidos, nesta série isso não acontece, ela é mais sombria, mas séria. E acho que foi justamente desse bom humor que eu senti falta nessa história.

Achei muito legal o fato da mocinha da história ser completamente o oposto de Julianne, e ainda sim tão interessante quanto. O Príncipe também está muito melhor nesse volume do que no livro de introdução (O Príncipe das Sombras), mais ainda sim, não fui arrebatada. Como gostei desse autor (autora?), vou acompanhar a série, mas pelo menos por enquanto, a Trilogia Gabriel é a minha preferida.

E lá vou eu, esperar por tempo indeterminado pela continuação L




Resenha do Mês de Abril do Desafio do Tigre. Tema: De Autor Estrangeiro. Para saber mais sobre o Desafio, basta dar uma olhadinha neste post aqui ou acessar a página do DL no facebook.